Santo Daime: Chá de Ayahuasca em Turismo Religioso

Turismo Religioso com o Santo Daime (Ayahuasca)
Turismo Religioso com o Santo Daime (Ayahuasca)

Como o Santo Daime é feito?

Há diversos nomes para o chá de Ayahuasca, mais conhecido como chá do Santo Daime, todavia ele possui diversos nomes, já que é uma “receita importada” de diversas tribos indígenas. Mas o procedimento para fazê-lo pode variar, pois na maioria das tribos indígenas há diversas espécies de plantas consideradas sagradas que também compõem o chá, de acordo a sua cultura e concepção religiosa. Para fazer o chá do Daime é preciso cozinhar as plantas e o compõe, de acordo com as instruções do mestre.

Plantas que compõem o chá do Daime

Em religiões ocidentais que fazem o uso do chá, ele é feito, apenas, de mariri com chacrona, plantas já testadas por diversos cientistas, que as classificaram como inofensivas ao organismo humano, quando usadas sem abusos. Todavia, muitas são as aldeias indígenas que misturam, também, outras plantas no chá, como a Sumaúma, árvore considerada sagrada por diversas etinias indígenas.

Santo Daime para Turismo Religioso

Turismo Religioso com o Santo Daime (Ayahuasca)
Turismo Religioso com o Santo Daime (Ayahuasca)

O Santo Daime tem sido muito procurado para turismo religioso. Todavia, é importante entender, primeiro, quais são as religiões que fazem uso da Ayahuasca, pois este, como instrumento espiritual do ocidente, não é utilizado apenas pela religião do Daime. Esta, realmente, foi a primeira “religião do branco” que o utilizou. Porém, ela foi fragmentada em duas, a UDV e o Daime. Após essa divisão, a religião do Daime também se subdividiu, mas a UDV permaneceu como apenas uma, sob a liderança do Mestre Gabriel, que tem o papel que seria comparado ao de um Papa.

Apesar de, no primeiro momento, religiões que fazem o uso do chá provocarem uma certa estranheza e perguntas a respeito de Jesus Cristo, depois de frequentada uma vez, torna-se claro o cunho cristão de base espírita que a parte ocidental carrega, pelo menos, no que se referem aos “templos” do Daime tradicional e da UDV.

Minha experiência com a Ayahuasca

Eu, que vos escrevo, já tomei Ayahuasca 4 vezes, a primeira foi realmente uma expriência marcante, na qual me senti em plena harmonia com a natureza e por isso chorei emocionado por 4 horas. Além deste sentimento de realização, também chorei por sentir uma culpa imensa, a de não ter sido capaz de perceber toda a riqueza da natureza que me cercava. Todavia, na segunda não senti tanta coisa e na terceira vez eu passei muito mal, sendo informado de que aquilo era normal de acontecer de vez em quando e representava uma limpeza, tanto física quanto espiritual. Na quarta, eu fui com minha namorada e também foi muito bom, mas nada tão revelador quanto à primeira.

Documentário sobre a UDV

Neste pequeno documentário feito pela TV Brasil, é possível ficar um pouco mais por dentro dessa religião que desperta tanta curiosidade em alguns, quanto sentimento de pavor em outros. Este vídeo se pretende como uma pequena aula sobre o tema, no qual alguns conceitos religiosos e psíquicos sobre os cipós com os quais o chá é feito são desvendados. Antes de decidir qualquer coisa sobre se irá fazer, ou não, um turismo religioso pesquisa bastante sobre. Ademais, é bom lembrar que quem tem parentes esquizofrênicos na família não são encorajados a experimentar.